O que é Hiperautomação

O que é Hiperautomação e por que sua empresa precisa prestar atenção nisso?

Por Mário Neto*

A consultoria Gartner publicou no final de 2019 um relatório sobre as tendências tecnológicas para 2020 e, em primeiro lugar, está o termo Hiperautomação (Hyperautomation). Mas o que é Hiperautomação e por que as empresas precisam prestar atenção nisso?

Antes da definição, é preciso entender que o uso da tecnologia deve estar focado nas pessoas (People-Centric), já que a tecnologia impacta diretamente consumidores, empregados, parceiros e, de forma geral, a sociedade. E, por ser centrada em pessoas, a tecnologia deve e pode assumir grande parte das tarefas de trabalho e/ou operacionais. O caminho para isso é a Hiperautomação.

Hiperautomação é a combinação de tecnologias e conhecimentos que as empresas precisam para tornar o processo de trabalho automatizado, totalmente voltado para tornar o modelo do negócio ágil como ele deve ser. O termo engloba as ferramentas, métodos e a própria automação, desde o momento do descobrimento do processo, passando pela análise, design, automação, medição de desempenho, monitoramento e, quando preciso, reavaliação.

Um conjunto híbrido entre ferramentas de automação de processos (RPA), machine learning, inteligência artificial e iBPMS (ferramentas de gerenciamento de processos de negócios inteligentes, como o Enate, por exemplo) permite que o processo de entender e desenvolver automações atenda às reais necessidades do modelo de negócio e traga mais valor e resultado para a empresa.

Veja também: Como a RPA está evoluindo com a IA em cinco etapas

É importante notar que Machine Learning e Inteligência Artificial são essenciais para a Hiperautomação, já que muitas vezes a automação por si só não é capaz de solucionar os problemas durante o processo a ser automatizado, muitas vezes complexos e precisando de adaptação a comportamentos diferenciados.

Ao usar as ferramentas da Hiperautomação a empresa acaba se tornando cada vez mais focada nos modelos e, por isso, é importante que o processo de descobrimento, design e desenvolvimento leve em conta também ferramentas de aprimoramento da qualidade do processo, como, por exemplo, Lean Six Sigma.

O recado do relatório da Gartner é que a Hiperautomação é inevitável e as organizações vão precisar identificar e automatizar todos os possíveis processos de negócio, de forma ágil, usando as ferramentas certas, tornando as operações e processo ágeis para poder competir em um mercado cada vez mais focado em facilitar e entender as pessoas.

*Mário Neto é Data Engineer e especialista em RPA na NextTrends

Clique aqui para ver o artigo publicado originalmente no portal Terra

ebook 10 métricas rpa

): Inteligência artificial avança e facilita progresso em empresas, indústrias e escolas

Inteligência artificial avança e facilita progresso em empresas, indústrias e escolas

Para quem acompanha o mundo da tecnologia, falar sobre Inteligência Artificial, Machine Learning, robotização de processos é algo comum, um conceito já bastante familiar e que nós da NextTrends sempre abordamos por aqui, afinal esse é o nosso DNA. Mas quando o assunto vai parar nas televisões de nossas casas, em rede nacional, é que percebemos o quanto relevante e presente ele se tornou em nosso dia a dia – saindo dos escritórios para a nossa vida real.

O Jornal Nacional, da TV Globo, produziu uma série de três reportagens que mostram exemplos de como os computadores substituíram seres humanos em atividades que exigem tomada de decisão.

“A interação humana, essa do olho no olho e da troca de empatia com o outro, é desafiada por uma invenção da humanidade: a máquina treinada para pensar como os seres humanos, mas que olha a vida de outro jeito. Os robôs foram tirados da ficção científica e trazidos para o mundo real. Alguns são chamados humanóides, projetos ainda bem distantes de seres humanos”, diz a reportagem inaugural.

“O cérebro artificial é como um programa de computador, só que faz tarefas associadas a humanos. Ele usa o algoritmo, uma fórmula matemática para resolver problemas. E a máquina aprende a tomar decisões inteligentes com os dados fornecidos”, cita outro trecho da matéria.

A repórter mostra inúmeros exemplos de adoção da Inteligência Artificial, como na aviação, na sala de aula, na indústria da moda. Veja que interessante: https://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2019/10/07/inteligencia-artificial-avanca-e-facilita-progresso-em-empresas-industrias-e-escolas.ghtml

pt_BRPortuguese
pt_BRPortuguese